cfmargua@gmail.com
Rua Horta do Reguengo, 7160-201 VILA VIÇOSA

268 889 146

Logótipo
CENTRO DE FORMAÇÃO DE ASSOCIAÇÃO DE ESCOLAS
Capacitar e Recuperar
Home » Capacitar e Recuperar

Capacitar e recuperar - 2022/2023

Plano de formação para download

Critérios de seleção

Critérios de seleção

1. Pertencer a uma das escolas associadas ao Centro de Formação MARGUA (os docentes pertencentes a outras áreas que não a do Centro de Formação MARGUA, também se podem inscrever, contudo dar-se-á sempre preferência aos docentes das escolas associadas a este centro);
2. Cada ação tem os seus próprios critérios de seleção, por favor consulte os detalhes de cada ação.

Normas de realização das ações

a) Será contactado, via mail, aquando da seleção para uma ação, cerca de 10 dias antes do início da mesma. Deverá confirmar a sua presença.
b) Caso pretenda desistir de frequentar uma ação de formação para a qual foi selecionado, deverá efetuar um pedido de desistência por escrito (que deverá remeter para os e-mails cfmargua@gmail.com  ou formmargua@gmail.com). Deverá efetuar esse procedimento atempadamente de modo a poder ser chamado um outro docente na lista de suplentes. Caso não o faça, estará a prejudicar a frequência da ação por outros docentes e, em inscrições futuras, a sua inscrição ficará condicionada. Caso seja designado pelo seu Diretor para Frequentar a formação, deverá formalizar por escrito, tanto para o Centro de Formação como para o seu Diretor.
c) Para cada ação em que se inscrever deverá preencher uma ficha de inscrição onde indica o nome e nº da ação pretendida e enviá-la via e-mail.
d) As ações só se realizarão caso haja número suficiente de formandos para o seu funcionamento.

Calendarização das ações de formação

setembro de 2022 a 30 de novembro de 2023

(mais informação a partir de janeiro de 2023)

1
Iniciou dia 17/09/2022

2

Iniciou dia 01/10/2022

3

Iniciou dia 17/09/2022

4A

14 e 31 de janeiro
4, 9 e 27 de fevereiro
4 de março

4B
22 de abril
2, 13, 18, 22 e 27 de maio

5A

18, 21 e 25 de setembro
 2, 9, 17 e 23 de outubro


5B

10 de fevereiro a 10 de março

5C

19 de abril a 3 de junho

6
30 de setembro a 11 de novembro

7A

21 de janeiro a 19 de abril

7B

4 de março a 10 de julho

8

5 de Maio a 30 de Junho

9
1, 2, 4, 7, 8, 15, 16, 18 e 21 de março

10

A partir de abril

11

maio, junho e julho

12

Data a definir brevemente

13
Data a definir brevemente

Detalhes das ações de formação

Aprendizagens Essenciais da Matemática para os 1º , 2º, 3º e 4º anos de escolaridade

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115761/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência:
b-learning

Formadores: Maria Elisa Pinto
Critérios de seleção e destinatários:
professores do 1º Ciclo designados pelo Diretor de cada Agrupamento

Objetivos:
No final da formação, os professores participantes devem:
- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática;
- Estar dotados do conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico;
- Realizar práticas de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 1.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada):
- Caracterização das novas AE de Matemática
- Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática
- Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática
Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos.

Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada):
- Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover
- Análise de produções de alunos
- Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor
- Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades
Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE.

Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada):
- Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas)
- Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo)
- Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro).
A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva.

Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.



Aprendizagens Essenciais da Matemática para os 5º e 6º anos de escolaridade

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115760/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: b-learning

Formadores: Mónica Patrício
Critérios de seleção e destinatários: professores do 3º Ciclo designados pelo Diretor de cada Agrupamento


Objetivos:

No final da formação, os professores participantes devem ser capazes de:

- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática;

- Estar capacitados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; 

- Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e alertados para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 2.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada):
- Caracterização das novas AE de Matemática
- Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática
- Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática
Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos.

Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada):
- Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover
- Análise de produções de alunos
- Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor
- Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades
Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE.

Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada):
- Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas)
- Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo)
- Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro).
A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva.

Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.


Aprendizagens Essenciais da Matemática para os 7º , 8º e 9º anos de escolaridade

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115830/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: b-learning

Formadores: Jacinto Salgueiro
Critérios de seleção e destinatários: professores do 3º Ciclo designados pelo Diretor de cada Agrupamento


Objetivos:

No final da formação, os professores participantes devem:

- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática;

- Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; 

- Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada):

- Caracterização das novas AE de Matemática

- Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática

- Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática

Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos.


Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada):

- Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover

- Análise de produções de alunos

- Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor

- Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades 

Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. 


Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada):

- Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas)

- Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo)

- Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro).

A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. 


Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.


As lideranças na promoção de ambientes educativos inclusivos

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115757/22

Modalidade/Horas: curso de formação (25)

Local: Vila Viçosa/Reguengos de Monsaraz
Regime de frequência: presencial

Formadores: Mª Manuela Matos
Critérios de seleção e destinatários: Diretores, coordenadores EMAEI, coordenadores de DTs (designados pelos Diretores de cada Agrupamento)


Objetivos:

- Identificar práticas de gestão e organização pedagógica, de topo e intermédias, à luz dos normativos/documentos de referência sobre políticas de inclusão;

- Explorar fatores que se constituem como obstáculo à inclusão na escola e sociedade;

- Consolidar uma perspetiva de abordagem integrada de práticas que concorrem para a inclusão;

- Refletir sobre a relevância das aprendizagens informais, os meios de as incorporar na promoção de ambientes educativos favoráveis à participação de alunos na condução do processo educativo;

- Promover estratégias de otimização da participação dos alunos na vida da escola;

- Elencar mecanismos de promoção do envolvimento das famílias na criação de ambientes inclusivos;

- Refletir sobre o papel das lideranças na criação de ambientes promotores de aprendizagens não-formais e informais consistentes com os objetivos da educação inclusiva;

- Equacionar os termos da cooperação interinstitucional em ordem à inclusão;

- Refletir sobre instrumentos de monitorização das práticas de inclusão.

Conteúdos:

1. Enquadramento teórico e normativo 

1.1. Quadro conceptual

Os direitos humanos e as políticas de inclusão.  

Justiça distributiva e éticas do cuidado.

Tradução dos princípios de justiça em direitos e capacidades.

O projeto Strength Through Diversity e a diversidade dos públicos na educação escolar: dimensões da diversidade; abordagens multinível da diversidade em educação.


1.2. Quadro normativo de referência

Os Decretos-Leis nº 54/2018 de 6 de julho (na sua redação atual) e n.º 55/2018, de 6 de julho (e respetivas Portarias).

O Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória.

Autonomia e responsabilidade dos decisores locais: interpretação dos normativos; as margens de autonomia potenciada pela portaria n.º 181/2019, de 11 de junho, na sua redação atual.

Documentos curriculares e instrumentos de autonomia dos AE/ENA.


1.3. Dimensões organizacionais das políticas de inclusão – exercício exploratório

[trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 1.1. e 1.2.]

2. Concretização das políticas de inclusão 

2.1 As escolas e as práticas

A inclusão em contexto: modelos educativos e conceções de cidadania e equidade.

2.2. Os agentes sociais das práticas de inclusão 

Pessoas, instituições, ambientes de aprendizagem.

Cooperação interinstitucional em ordem à inclusão.

2.3. Os recursos para a inclusão

A identificação e gestão dos recursos (humanos, materiais, institucionais) e a sua potencialização na promoção da escola inclusiva.

2.4. Contextos de interação socioeducativa na perspetiva da inclusão: a sala de aula e ‘o resto’ – exercício exploratório

[trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 2.1., 2.2. e 2.3.]

3. Conhecer, partilhar, decidir 

3.1. Conhecer e cooperar com as pessoas e as instituições 

3.2. Conhecer, estimular e proteger as crianças e jovens: princípios, métodos, instrumentos

3.3. Conhecer para transformar: dos instrumentos de suporte à monitorização às modalidades de participação de professores, pais e alunos nos processos de decisão – exercício exploratório

[trabalho com os formandos, orientado pela abordagem prévia dos pontos 3.1. e 3.2.]

4. Avaliação 

Apresentação e discussão dos trabalhos/produtos finais dos formandos


Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115830/22

Destinatários: professores do 3º ciclo

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: b-learning

Formadores: Jacinto Salgueiro


Objetivos:

No final da formação, os professores participantes devem:

- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Básico, o seu racional e as consequências para o ensino da Matemática;

- Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Básico; 

- Realizar experiências de ensino de Matemática que contemplem a planificação de aulas, a sua concretização e consequente reflexão, em contextos de trabalho colaborativo, tornando-se sensíveis e capazes de resolução para os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o 3.º ciclo do Ensino Básico.

Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Básico expressas nas novas AE 2021 (2 sessões de 2,5h cada):

- Caracterização das novas AE de Matemática

- Articulação entre os temas nas novas AE de Matemática

- Reflexos dos princípios nas opções curriculares das novas AE de Matemática

Serão propostas tarefas que permitirão trabalhar as novas AE segundo diversos ângulos.


Articulação entre diferentes temas matemáticos e capacidades matemáticas transversais, incorporando as capacidades e atitudes gerais transversais (5 sessões de 2,5h cada):

- Conteúdos de aprendizagem (conhecimentos, capacidades matemáticas, capacidades e atitudes gerais) que uma dada tarefa preferencialmente pode promover

- Análise de produções de alunos

- Feedback oral e escrito a fornecer pelo professor

- Recursos, em particular tecnológicos, e suas potencialidades 

Serão propostas tarefas de formação constituídas por tarefas a propor aos alunos, e um conjunto de questões que incidem sobre o ensino da Matemática, a partir das características da tarefa dos alunos, de produções de alunos, de episódios de sala de aula, de notas de campo de aulas realizadas no âmbito da operacionalização destas novas AE. 


Práticas de ensino promotoras do desenvolvimento integrado de temas matemáticos, capacidades matemáticas transversais e capacidades e atitudes gerais transversais (3 sessões de 2,5h cada):

- Planificação (objetivos de aprendizagem, tarefas, formas de as explorar e recursos, em particular ferramentas tecnológicas)

- Operacionalização (dinâmica da aula; papel do professor e dos alunos, discussão em grande grupo)

- Reflexão (aprendizagens realizadas, dificuldades reveladas pelos alunos e ações do professor, identificação de aspetos a melhorar, causas e aperfeiçoamentos para futuro).

A primeira sessão será dedicada ao início da planificação da aula a lecionar, e as duas restantes decorrerão após o término do trabalho autónomo e destinar-se-ão à apresentação e reflexão da intervenção na prática letiva. 


Para o trabalho autónomo propor-se-á a leitura de textos que sustentem teoricamente algumas ideias chave das orientações curriculares consideradas nos documentos curriculares, assim como a leitura de textos de apoio sobre os temas trabalhados. Prevê-se ainda que o trabalho autónomo incida na conclusão da planificação, na realização da aula e na preparação da apresentação aos restantes formandos desta intervenção na prática letiva.


Práticas pedagógicas inclusivas em sala de aula

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115759/22

Modalidade/Horas: curso de formação (25)

Regime de frequência: e-learning
Formadores: Alexandrina Gonçalves/Mª Manuela  Matos
Critérios de seleção e destinatários: coordenadores e técnicos a designar pelo Diretor de cada Agrupamento (as restantes vagas são de inscrição livre,  todos os educadores e  professores se podem inscrever)


Objetivos:

- Explorar os documentos legislativos (DL n.º 54/2018 e 55/2018, PASEO, Aprend. Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas pedagógicas mais inclusivas;
- Consolidar o conhecimento sobre os modelos de enquadramento à operacionalização da educação inclusiva nas suas características essenciais;
- Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos (Desenho Universal para a Aprendizagem);
- Aprofundar o conhecimento sobre metodologias e estratégias pedagógicas inclusivas e inovadoras;
- Consolidar a implementação do ciclo: Avaliar–Planear–Agir– Rever para a inclusão;
- Promover a avaliação como parte integrante da gestão inclusiva do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens
- Reforçar competências de trabalho colaborativo, reflexivo e de resolução de problemas entre os profissionais.

Conteúdos

Módulo 1 - Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas
- Exploração de documentos legislativos (DL n.º 54/2018, DL n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória e Aprendizagens Essenciais) de apoio à prática letiva de forma integrada, destacando-se a reflexão e a análise de práticas sobre:
    - os valores e princípios de base humanista, onde o aluno assume a centralidade da ação;
    - a gestão inclusiva, integrada, flexível e articulada do currículo;
    - o recurso a modelos de intervenção e modelos pedagógicos de resposta à diversidade e de promoção de uma educação de qualidade para todos os alunos;
    - a valorização da avaliação como parte integrante da gestão do currículo e instrumento ao serviço do ensino e das aprendizagens;
    - a voz dos alunos e das suas famílias, aumentando os seus níveis de participação.

Módulo 2 - Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas
- Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos.
- Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (Desenho Universal para a Aprendizagem).

Módulo 3 – Gerir a diversidade em sala de aula
- Gestão da diversidade em sala de aula atendendo à participação e aprendizagem efetivas de todos os alunos – partilha de práticas.
- Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico, que conciliem as aprendizagens a desenvolver e as características de todos alunos.

Módulo 4 – Avaliação como processo regulador do ensino e da aprendizagem
- Caráter contínuo e sistemático da avaliação, ao serviço das aprendizagens, enquanto processo regulador do ensino e das aprendizagens.
- Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino.
- O feedback como uma das dimensões indispensáveis à aplicação prática da avaliação formativa na sala de aula.

Criação de ambientes de aprendizagem inlusivos e inovadores

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115756/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+2)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: b-learning
Formadores: Alexandrina Gonçalves
Critérios de seleção e destinatários: educadores e professores de todos os ciclos de ensino (serão selecionados pela ordem de entrada da ficha de inscrição, no Centro de Formação)

Objetivos:

- Explorar os documentos legislativos (Decreto- Lei n.º 54/2018,  Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais) e de apoio à prática letiva de forma integrada, identificando implicações para a organização de práticas mais inclusivas.

- Aplicar colaborativamente os princípios subjacentes ao desenho universal para a aprendizagem e à abordagem multinível.

- Planear com intencionalidade estratégica, organizando a dinâmica pedagógica, conciliando as aprendizagens a desenvolver e a diversidade de todos alunos.

- Conceber instrumentos de suporte à recolha de informação que contribuam para a tomada de decisão.

- Consolidar a implementação do ciclo:  Avaliar – Planear – Agir - Rever.

- Produzir e aplicar em contexto de sala de aula instrumentos de avaliação e planificação das aprendizagens.

- Partilhar experiências facilitadoras do um processo ensino-aprendizagem inclusivo.

- Explorar colaborativamente práticas educativas inovadoras.

Conteúdos

Módulo 1. Impacto das orientações de política educativa nas práticas pedagógicas 

- Exploração integrada dos documentos de política educativa (Decreto- Lei n.º 54/2018,  Decreto-Lei n.º 55/2018, Perfil dos Alunos à Saída da Escolaridade Obrigatória, Aprendizagens Essenciais).


Módulo 2. Ambientes educativos inclusivos - opções metodológicas 

- Práticas de ensino e intervenção diferenciadas, em função do perfil de competências dos alunos.

- Estratégias de antecipação da diversidade em sala de aula, com recurso a ambientes de aprendizagem flexíveis e centrados no aluno (DUA).

Módulo 3. Valorização da diversidade em sala de aula – criação e partilha de recursos

- Mecanismos de planeamento e gestão curricular com caráter intencional e estratégico.  

- O que ensinar e porquê, como, quando, com que prioridades, com que meios, com que organização e com que resultados: exercícios práticos.


Módulo 4. Avaliação formativa enquanto processo regulador do ensino e da aprendizagem

 - Planificação intencional da avaliação formativa tendo como objetivos melhorar os resultados das aprendizagens e ajustar o processo de ensino.


Avaliação pedagógica II: projetos de intervenção nos domínios do ensino, aprendizagens e avaliação

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-117645/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa/Reguengos de Monsaraz
Regime de frequência: b-learning

Formadores: Ana Paula Alpalhão
Critérios de seleção e destinatários: 7 docentes por Agrupamento nomeados pelo Diretor


Objetivos:

- Contribuir para o desenvolvimento de competências e conhecimentos no domínio da avaliação, em geral, e da avaliação pedagógica, em particular, congruentes com o real conteúdo das orientações constantes nos documentos legais; 

- Promover práticas de trabalho colaborativo e cooperativo na construção e desenvolvimento de projetos de avaliação pedagógica em contexto de sala de aula;

- Elaborar recursos educativos de suporte ao desenvolvimento dos projetos de avaliação pedagógica; 

- Permitir a troca de materiais e experiências, o esclarecimento de dúvidas e a geração de ideias e projetos de natureza pedagógica e didática; 

- Incrementar práticas de formação de natureza investigativa que confiram competências aos professores para lidar com a mudança e a inovação no âmbito da avaliação pedagógica.

Conteúdos:

1. Enquadramento curricular: documentos de referência – 3 horas; 

2. Natureza e Fundamentos da Avaliação - 3 horas; 

3. Avaliação formativa e avaliação sumativa - 3 horas; 

4. Feedback: natureza, distribuição e utilização por alunos e professores-alunos - 3 horas; 

5. Aprendizagens Essenciais, Critérios de avaliação, Descritores de Níveis de Desempenho e de Standards. - 3 horas;

6. Processos de recolha de informação - 3 horas; 

7. Apresentação, discussão e avaliação dos projetos de intervenção desenvolvidos no âmbito da oficina - 7 horas.

Para a Melhoria das Práticas de Avaliação Pedagógica: desenvolvimento e concretização dos Projetos de Intervenção

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-115591/22

Modalidade/Horas: círculo de estudos (25+13)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: presencial

Formadores: Anabela Quadrado/Ana Paula Alpalhão
Critérios de seleção e destinatários: professores de Vila Viçosa preferencialmente docentes que já tenham frequentado as ações MAIA


Objetivos:

- Clarificar os conceitos estruturantes que deverão fundamentar e enquadrar os PI.

- Aprofundar a conceção e a elaboração dos PI.

- Analisar materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI.

- Produzir materiais que possam facilitar a consecução e desenvolvimento dos PI.

- Delinear estratégias destinadas a promover a concretização e desenvolvimento dos PI atendendo às condições concretas de cada instituição.

- Contribuir para integrar os PI no desenvolvimento dos Projetos Educativos das instituições.

- Desenvolver hábitos de trabalho colaborativo e de reflexão em torno de situações vividas nas escolas, visando melhorar a qualidade do ensino, da aprendizagem e da avaliação.

Partilhar ideias, experiências, materiais e métodos que contribuam para a concretização e desenvolvimento dos PI em cada instituição. 

- Conceber uma Ação de Curta Duração visando a criação de uma oportunidade para que os professores possam discutir a consecução e o desenvolvimento dos PI.

Conteúdos:

O desenvolvimento deste Círculo de Estudos será baseado no estudo, na discussão e na análise dos seguintes conteúdos principais:

- Análise e reflexão acerca do Currículo vigente atualmente em Portugal.

- Relações entre o Currículo, a Pedagogia e a Avaliação e suas implicações para a concretização e desenvolvimento dos PI. 

- Conceitos estruturantes da avaliação pedagógica tais como avaliação formativa, avaliação sumativa, feedback, critério, indicador ou descritor, autoavaliação, avaliação entre pares, avaliação holística, avaliação analítica, processos de recolha de informação e processos de classificação.

- Conceção de materiais, processos e estratégias que integrem os conceitos e ideias da avaliação pedagógica e que suscitem a sua utilização nas práticas pedagógicas.

- Análise e discussão de PI: reformulação, aprofundamento, ajustamento.

- Processos de formação ativa de professores: fundamentos, processos e dinâmicas.


Mentor: tutorias autoreregulatórias

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-116953/22

Modalidade/Horas: curso de formação (25)

Regime de frequência: e-learning

Formadores: Patrícia Marques Bom
Critérios de seleção e destinatários: docentes de todos os grupos disciplinares


Objetivos:

- Aprofundar conhecimento acerca da metodologia de tutoria e os propósitos da mesma em contexto escolar;

- Aprofundar conhecimento nos modelos motivacionais e de autorregulação da aprendizagem;

- Explorar o desenvolvimento de estratégias autorreguladoras de aprendizagem e promoção de competências organizadoras do raciocínio e de resolução de problemas com os alunos;

- Capacitar os professores-tutores para a identificação e intervenção em situações educativas problemáticas (e.g., baixos níveis de envolvimento escolar, dificuldades em definir objetivos futuros);

- Refletir sobre as dificuldades escolares, sociais e desenvolvimentais dos alunos através da exploração e orientação para a resolução de problemas;

- Explorar narrativas como ferramenta educativa e de regulação comportamental;

- Explorar e desenvolver recursos de apoio e avaliação da prática.

- Refletir acerca do papel do professor-tutor;

- Explorar e desenvolver competências de intervenção direta do professor-tutor com os alunos-alvo;

- Integrar os professores-tutores numa comunidade de partilha de experiências e recursos para a prática da tutoria em contexto escolar.

Conteúdos:

Módulo 1. Contextualização da Ação (2,5h assíncronas + 1h síncrona)

1.1. Desconstrução de significados e mitos acerca do papel do professor-tutor

- Mitos e questões acerca do papel do professor-tutor;

- Apresentação do cronograma do curso;

- Avaliação de conhecimentos pré-formação;

- Apresentação da tarefa final: Relatório de reflexão individual.

1.2. Apresentação e familiarização com as ferramentas online

- Moodle®, Adobe Connect®,  Padlet®  e Tricider®:

    - Registo e construção de perfil;

    - Apresentação das funcionalidades da ferramentas; 


Módulo 2. Introdução à metodologia de Tutoria (2h assíncronas + 1h síncrona)

2.1 Tutoria 

- Explorar o conceito de tutoria: perspectiva histórica;

- Explorar as diferenças entre coaching, mentoring e tutoria;

- Os Programas de Tutoria: Porquê?;

- Explorar as atribuições do professor-tutor na legislação em vigor;

2.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca dos objetivos do processo de tutoria;

Módulo 3. Os tipos de conhecimento e a sua relação com a aprendizagem (2h assíncronas + 1h síncrona)

3.1 Tipos de conhecimento

- Apresentação dos Tipos e fases de conhecimento; 

- Interação entre o conhecimento e a aprendizagem;

3.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca do ciclo do processo de ajuda;

Módulo 4. Motivação e aprendizagem: (con)sequêncialidades (2h assíncronas + 1h síncrona)

4.1 Motivação

- Aprofundar o conceito de motivação no contexto da aprendizagem e as abordagens cognitivas da motivação;

- Aprofundar o papel dos objetivos e o que orienta os alunos para os diferentes objetivos;

4.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca da fase de facilitação do ciclo do processo de ajuda;


Módulo 5. Modelos de autorregulação da aprendizagem (2h assíncronas + 1h síncrona)

5.1 Modelos de autorregulação da aprendizagem

- Aprofundar o modelo das fases da aprendizagem autorregulada segundo Zimmerman (2000; 2002);

- Aprofundar o modelo PLEA (Rosário, 2004);

5.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca da fase de transição/insight do ciclo do processo de ajuda;


Módulo 6. Estratégias de autorregulação da aprendizagem em contexto de tutoria (2h assíncronas + 1h síncrona)

6.1 Estratégias de autorregulação da aprendizagem

- Explorar as estratégias de autorregulação da aprendizagem e sua aplicação em contexto de tutoria;

- Explorar plano sequencial para a promoção do desenvolvimento da autorregulação da aprendizagem;

6.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca da fase de ação do ciclo do processo de ajuda;


Módulo 7. Envolvimento Escolar e Possible Selves (2h trabalho autónomo + 1h síncrona)

7.1 Envolvimento Escolar e Possible Selves

- Aprofundar o conceito de envolvimento escolar e as suas dimensões em interligação com as competências de autorregulação;

- Aprofundar o conceito de possible selves e a sua influência no envolvimento escolar, na definição de objetivos e no sucesso académico;

7.2 Competências de Relação Interpessoal na Tutoria

- Apresentação e reflexão acerca do treino de competências de atendimento;


Módulo 8. Avaliação (2,5h assíncronas + 1h síncrona)

8.1 Avaliação do curso de formação

- Avaliação de conhecimentos pós-formação e da qualidade da formação;

- Reflexão acerca dos conteúdos e implicações no contexto de tutoria e das competências do tutor;

8.2 Relatório reflexão individual

O ensino experimental das ciências ao serviço da cidadania ativa

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-116966/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa
Regime de frequência: b-learning

Formadores: Anabela Quadrado
Critérios de seleção e destinatários: docentes dos grupos disciplinares 100, 110, 230, 510 e 520


Objetivos:

- Aprofundar a formação dos professores, de modo a reforçar a compreensão da atual relevância de uma adequada Educação em Ciências para todos;

- Promover a construção de conhecimentos com ênfase no ensino das ciências de base experimental;

- Promover a exploração de situações didáticas para o ensino das ciências de base experimental;

- Promover a produção, implementação e avaliação das atividades práticas, laboratoriais e experimentais;

- Desenvolver uma atitude de interesse e gosto pela Ciência e pelo seu ensino.

Conteúdos:

1- Biologia (10 horas)

- Animais – costumes e habitats

- Plantas – germinação de sementes

- Educação para a Saúde

- Educação Ambiental

- Soluções baseadas na natureza para a sala de aula


2- Geologia (5 horas)

- Comparação de amostras de rochas

- Observação de colecções de rochas e minerais

- Observação das suas propriedades


3- Física e Química (5 horas)

- Flutuação

- Efeitos de luz e sombra

- Dissolução

- Mudança de estado físico


4- Produção de materiais de apoio (5 horas)

- Protocolos experimentais

- Registo de resultados


Combate ao discurso de ódio e à discriminação na sua expressão online

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-114964/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa

Regime de frequência: b-learning

Formadores: José Padilha
Critérios de seleção e destinatários: docentes de todos os grupos disciplinares


Objetivos:

- Refletir acerca da integração curricular e transversalidade das temáticas relacionadas com a utilização das tecnologias digitais;

- Debater estratégias de sensibilização, junto dos alunos, no que se refere à importância da Cidadania Digital;

- Capacitar crianças e jovens a tornarem-se agentes de mudança, ajudando-os a compreender melhor o fenómeno do discurso de ódio online;

- Disponibilizar ferramentas e promover o uso de estratégias adequadas à prevenção do discurso de ódio online.

- Criar espaços de reflexão que proporcionem a exploração de recursos e ferramentas;

 - Conceber planos de intervenção que incluam as temáticas relacionadas com o discurso de ódio online, em contexto educativo;

- Articular as temáticas abordadas com as Orientações Curriculares TIC para o 1.º Ciclo, no domínio da Cidadania Digital, com as Aprendizagens Essenciais da disciplina TIC, no domínio da Cidadania Digital, assim como com a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania.

Conteúdos:

Módulo 1: O discurso de ódio (4 horas – 3 horas presenciais + 1 hora assíncrona)
- Conceito de discurso de ódio formas de expressão que propagam, incitam e promovem o ódio e a intolerância: análise e discussão.

Módulo 2: O Movimento Contra o Discurso de ódio (4 horas – 2 horas síncronas + 2 horas assíncrona)
- Estratégias de sensibilização junto dos alunos;
- Ferramentas de prevenção do discurso de ódio online.

Módulo 3: O projeto SELMA (6 horas – 3 horas presenciais + 3 horas síncronas)
- Objetivos do projeto;
- Conceção de planos de intervenção em contexto educativo.

Módulo 4: Desenvolvimento de projetos de prevenção e combate ao discurso de ódio online nos seus diversos formatos, incluindo o Cyberbullying na escola (6 horas – 3 horas síncronas + 3 horas assíncronas)
- Iniciativas do Centro de Sensibilização SeguraNet;
- Iniciativas do Centro Internet Segura;
- Articulação curricular e transversalidade das temáticas.

Módulo 5: Avaliação e reflexão final (5 horas – 3 horas presenciais + 2 horas assíncronas)

- Apresentação, partilha e reflexão sobre os resultados obtidos nas escolas, após implementação dos planos de intervenção desenvolvidos.

Aprendizagens Essenciais de Matemática A para o Ensino Secundário

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-114964/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa

Regime de frequência: b-learning

Formadores: Zita Paulino
Critérios de seleção e destinatários: professores do Ensino Secundário designados pelo Diretor de cada Agrupamento


Objetivos:

No final da formação, os professores participantes devem:

- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática;

- Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A); 

- Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática A).


Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE

- Ideias inovadoras do Currículo:

          - Matemática para a Cidadania;

          - Pensamento Computacional;

          - Diversificação de temas no currículo;

          - Matemática para todos.

- Ideias-Chave das Aprendizagens Essenciais:

          - Resolução de problemas, modelação e conexões

          - Raciocínio dedutivo e lógica matemática

          - Recurso sistemático à tecnologia

          - Tarefas e recursos educativos

          - Práticas enriquecedoras e criatividade

          - Organização do trabalho dos alunos

          - Comunicação matemática

          - Avaliação para a aprendizagem

- Operacionalização das Aprendizagens Essenciais.

- Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas:

          - Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos;

          - Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo 

          numérico e simbólico;

          - Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a 

          smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; 

          - Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de 

          problemas.

- Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.

Aprendizagens Essenciais de Matemática B e Profissional para o Ensino Secundário

Nº de acreditação: CCPFC/ACC-114964/22

Modalidade/Horas: oficina de formação (25+25)

Local: Vila Viçosa

Regime de frequência: b-learning

Formadores: Margarida GuéGués
Critérios de seleção e destinatários: professores do Ensino Secundário designados pelo Diretor de cada Agrupamento

Objetivos:

No final da formação, os professores participantes devem:

- Compreender, de forma aprofundada, as orientações curriculares expressas nas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional), as suas finalidades e as consequências para o ensino da Matemática;

- Estar dotados com o conhecimento didático e o conhecimento matemático requeridos para o ensino orientado pelas novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional); 

- Ser capazes de refletir sobre os problemas que possam surgir na prática de ensino das novas AE de Matemática para o Ensino Secundário (Matemática B e Matemática do Ensino Profissional).

Conteúdos:

Orientações curriculares para o ensino da Matemática no Ensino Secundário expressas nas novas AE

- Ideias inovadoras do Currículo:

          - Matemática para a Cidadania;

          - Pensamento Computacional;

          - Diversificação de temas no currículo;

          - Matemática para todos.

- Os novos módulos e o seu racional:

          - Introdução à Inferência Estatística

          - Geometria sintética 

          - Matemática e arte

          - Distâncias inacessíveis

          - Álgebra de Boole

          - Modelos de grafos

          - Matemática financeira e fiscal

          - Matemática comercial

          - Matemática laboral

          - Biomatemática

          - Criptografia

- Operacionalização das Aprendizagens Essenciais.

- Exploração de ideias e conceitos, integrando a tecnologia como alavanca para a compreensão e resolução de problemas:

          - Abordagem exploratória de ideias e conceitos matemáticos;

          - Integração da tecnologia na experimentação, visualização, representação, simulação, interatividade, bem como no cálculo 

          numérico e simbólico;

          - Recurso à folha de cálculo, a ambientes de geometria dinâmica, a aplicativos digitais diversos, a simulações, a 

          smartphones, à calculadora gráfica e aos sensores, bem como a outros equipamentos e materiais; 

          - Desenvolvimento do pensamento computacional com recurso a atividades de programação integradas na resolução de 

          problemas.

- Preparação, apresentação e discussão dos trabalhos e avaliação do curso de formação.